Calçados sustentáveis e a falta de tempo

Sim, eu sei que o blog está largado às traças há alguns dias. Mas a falta de tempo me consome. Estou envolvido em vários projetos ao mesmo tempo e acabei deixando esse aqui de lado. Mas, logo que possível, retomo as postagens mais constantes. #semdramanemchororô

Hoje quero falar sobre calçados sustentáveis e veganos. Sabia que eles existiam, mas nunca tinha visto divulgação alguma. Ontem recebi dois releases sobre produtos do tipo e decidi falar por aqui.

O primeiro, é o Ahimsa, que se diz vegano. Essa é uma empresa de calçados com modelos exclusivos para homens e mulheres. Todos os produtos não possuem insumos animais em sua confecção e são considerados conscientes. Todo o processo de produção é pensado para se poluir o menos possível dentro das realidades enfrentadas hoje.

Esse é um dos modelos, o feminino:

sider-feminino-azulDurante o processo de produção, por exemplo, a empresa só utiliza colas à base de água, que não poluem e não fazem mal a saúde. Ao se tratar de matéria-prima, são utilizados somente itens de origem natural (algodão e borracha) ou materiais reaproveitados – algodão reciclado, fios de garrafa pet e borracha reciclada.

Outro modelo que fiquei conhecendo através de release, foi o Vert, uma marca de tênis sustentáveis, sucesso na Europa, que chega ao Brasil em novembro com o nome Veja.

A marca surgiu depois que François-Ghislain Morillion e Sébastien Kopp largaram seus empregos na área administrativa e partiram para uma viagem que durou um ano, buscando aprender como projetos sustentáveis poderiam impactar o mundo. Lojas em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Recife comercializarão a marca, que deve expandir seus pontos de venda e sua coleção no Brasil até o primeiro semestre de 2014.

Esse tem modelos mais urbanos:

vertDesculpem o tamanho da imagem. Mas é o que temos pra hoje, com a falta de tempo. O melhor de tudo é a história da marca. Portanto, senta que lá vem a história (lembram?):

Após a viagem, em 2005, os amigos resolveram criar a Vert (verde em francês). Hoje, ela é uma equipe multi-cultural espalhada entre Paris, Londres, Berlin, Milão, Rio Branco, Fortaleza, Novo Hamburgo, Rio de Janeiro e São Paulo.

Uma curiosidade é que os calçados tem fabricação 100% brasileira desde o início da marca. Segundo os sócios, o Brasil ofereceu uma base para produção dos tênis por conta do lado social e ecológico e, por isso toda a matéria prima é cultivada no país.

O algodão utilizado nos tênis é cultivado, sem insumo químico, por associações de agricultores. São aproximadamente 700 famílias que seguem o princípio da agroecologia, um modelo agrário de desenvolvimento sustentável.

Os agricultores fazem parte de associações e cooperativas apoiadas pelos Projeto Dom Helder, Embrapa Algodão e Esplar (Escritório de Planejamento e Assessoria Rural). Com esse apoio, os agricultores comercializam uma pluma certificada de algodão orgânico para a fabricação dos fios, com os quais é confeccionada a lona utilizada nos tênis, e o fazem diretamente com a VERT, a um preço justo.

A borracha vem da cooperativa Chico Mendes que, em parceria com o WWF e o Governo do Acre, são responsáveis por 40 famílias de seringueiros, que extraem a matéria prima do coração da Floresta Amazônica. Eles também seguem o modelo de comércio justo, por isso os seringueiros possuem sua propriedade e são donos do seu próprio negócio.

O couro utilizado no produto também passa por um processo diferente: ao invés de ser tratado com cromo, o couro é curtido com extratos de acácia, um tanino natural e não poluente.

Design diferenciado, sustentabilidade e o mundo da moda deram forma a um tênis atemporal, confortável e uma peça coringa em qualquer produção. Muitos modelos foram inspirados no lifestyle parisiense e na cultura urbana. Já o nome das coleções são homenagens às comunidades rurais, como o Esplar, nome dado à cooperativa do algodão, e Tauá, a cooperativa de seringueiros.

Bacana a ideia, né? Em tempos de repensar a moda, a sustentabilidade é uma boa saída.

Bom fim de semana!

Douglas

 

Anúncios

Sonzinho: ProleteR

Proleter-Curses-From-Past-Times-EP-600x455É sagrado: quando eu acordo, acesso o aplicativo da Rádio Ibiza pro Iphone. Tenho ele há meses e sou viciado. De lá, tiro várias novidades musicais maravilhosas. É demais. As playlists, separadas por temas, facilitam muito a vida, dependendo do humor que estamos. Hoje conheci, através do App, o ProleteR.

Não sei muito sobre quem é. Apenas que é um jovem francês “brincando” de fazer sons. Enfim, seja quem for, eu curti muito. Ouvi primeiro April Showers, e depois várias outras maravilhosas.

Agora preciso voltar pro fechamento do Mais Atual. Afinal, toda quarta-feira eu faço tudo igual! Kkkkk

Beijos,

Douglas

T-shirt rocker: eu quero

Estava eu em mais um dia de trabalho, quando, de repente, recebo um release da Riachuelo. O fato é que eles estão lançando a coleção Rock Bands, que reúne t-shirts de grandes nomes do rock. São eles: AC/DC, The Beatles, David Bowie, Kiss e Sex Pistols.

Há tempos venho alimentando uma paixonite por uma t-shirt do Ramones que vi em uma lojinha no corredor do Shopping Lajeado que só vende camisetas. O preço era ótimo: R$ 39,90. Me arrependo de não ter comprado. E vou dizer que essas da Riachuelo me deixaram com mais vontade ainda de ter uma.

Minhas preferidas foram…

Tshirts Beatles RiachueloDos Beatles… Que, no release explicaram:

Segundo a primeira esposa de John Lennon, Cynthia, o nome “The Beatles” foi criado por ele em um bar, enquanto tomava cerveja. Já o próprio John foi irônico em um artigo da revista Mersey Beat, de 1971, dizendo que teve uma visão em que um homem, numa torta flamejante, disse: “Vocês são os Beatles com A”. Já Paul McCartney disse em 2001 que o nome definitivo da banda foi sua criação e que John teve a ideia de chamá-los de The Beetles. Então Paul retrucou: “Por que não Beatles? Você sabe, como a batida da bateria”.

Tshirts Bowie RiachueloE do Bowie. Que, segundo o release…

David Robert Jones, mais conhecido como David Bowie, é músico, ator e produtor musical inglês. Famoso pela sua capacidade de sempre renovar a sua imagem e pela profundidade intelectual da sua obra, se tornou um dos maiores ídolos da música há 5 décadas e é consagrado como um dos roqueiros mais inovadores e influentes do mundo. Músicas como “Rebel Rebel”, “Ashes To Ashes”, “Strangers When We Met”, “Fame”, “Criminal Word” e “Ziggy Stardust” marcam a sua carreira. Bowie mistura soul, funk, art, rock e glam pop sem perder a qualidade de suas composições.

Em 1971, Bowie estourou no cenário musical ao lançar seu alterego, “Ziggy Stardust”. O personagem desafiava os padrões da sexualidade, com uma imagem andrógina que acabou se tornando o símbolo da geração Glam Rock. O álbum “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” contava a história de um alienígena que estava na terra com o intuito de passar uma mensagem de esperança para o planeta. Essa fase de Bowie foi, sem dúvida, a responsável por torná-lo um dos maiores ídolos da atualidade.

Enfim, eu peguei as fotos dos modelos masculinos. Mas também tem feminino e infantil. Os preços ficam entre R$ 19,90 e R$ 35,90. Super baratinho.

Beijos,

Douglas

Sonzinhos: Izzy Bizu

Izzy BizuEu adoro “descobrir” artistas novos por acaso. Hoje de manhã, assistindo a um vídeo no Youtube, vi nos relacionados White Tiger, de Izzy Bizu. Como estava a fim de ouvir algo diferente, cliquei. E adorei. Achei a voz dela incrível e ela um charme.

Dei uma investigada pela net pra ver se encontrava alguma postagem sobre ela, mas não achei muita coisa. Seu site está em construção e a descrição de sua página no Facebook é bem pequena. Além de que, não tinha nenhuma reportagem sobre ela.

No Face diz que ela tem 18 anos e canta e compõe suas músicas. É natural do interior de Londres, filha de uma etiopiana e umpai inglês, cresceu ouvindo nomes como Ella Fitzgerald, Betty Swan, Betty Wright e James Brown. Todos esses sons juntos foram a influenciando ao longo do caminho. Da leva de artistas recentes, admira Amy Winehouse e Adele, que a influenciaram numa fusão de soul, funk, jazz e pop.

Hoje ela uma performance ao vivo no Hangout do Google +. Clica aqui pra conferir.

E confira os vídeos de White Tiger e Fools Good.

Espero que curtam.

Beijos,

Douglas

Cinco resoluções para a semana

Resoluções para a semanaSou um apaixonado por listas. Adoro fazê-las e dar um “check” ao lado de cada tarefa ou resolução cumprida. Hoje decidi fazer uma para a minha dieta, que anda meio de lado. Sim, desanimei de cuidar da alimentação e engordei. Quero voltar, mas não com tudo. Portanto, resolvi fazer uma listinha de cinco cuidados que pretendo ter durante a semana. São eles:

1 – Não comer doces
2 – Passar longe de frituras e guloseimas
3 – Priorizar carboidratos integrais
4 – Comer apenas para se sentir saciado
5 – Praticar exercícios pelo menos em três dias

Na verdade esses cinco pontos são os que eu mais andava pecando ultimamente. Comia pelo menos um doce por dia (e quando falo doce, falo de pudim, bolo, torta, etc até balas e chocolates), não dava mais muita bola quando me serviam uma fritura ou algo gorduroso, como pizza. O carboidrato integral tinha sido trocado pelo branco. Isso tinha ocorrido em outros momentos da dieta, mas ultimamente estava até dobrando a quantia. Então, resolvi cortar o mal pela raiz. 

Sabe aquela sensação de saciedade? Para alguns ela é real, quando terminam de comer o primeiro prato. No meu caso, sempre repetia, pra, como diz a minha vó, “saciar os olhos”. Vou voltar a comer normalmente, como no começo da dieta. E, por fim, a missão mais complicada: retomar os exercícios. A minha relação com a academia não foi nada boa. E não consegui retomar as corridas. Essa semana vou tentar fazer alguma atividade pelo menos três dias.

Veremos o que será dessa semana. Se o ânimo pra seguir a dieta retorna, ou vai embora de vez. Oremos.

Beijos,

Douglas