Look do dia (mesmo)

Mais um look meu pro blog. Dessa vez é o que estou vestindo no dia mesmo. Na verdade é o mesmo de ontem, só que adaptado. Troquei a blusa de baixo pelo moletom de pelos e o coturno de guerra marrom pelo coturno preto.

Jeans + jeansGosto da combinação jeans + jeans. E dessa vez foi super por acaso. Nem tinha percebido a proximidade de tons da jaqueta e da calça. O casaco é um curinga que pode ser usado em sobreposições nos dias mais frios e com uma t-shirt nos dias mais ou menos. Ela tem algumas tachas, que eu mesmo coloquei pra dar uma personalizada. Tenho ela há uns três invernos e estava enjoado dela como estava.

Essa calça, por mais que seja clara, me emagrece e alonga a silhueta. Isso se devem à lavagem, clara só na região central, em toda a extensão. Os lados mais escuros dão a impressão de que as pernas são mais finas.

Agora vou falar dos meus óculos da vez:

óculos redondos Alexandre HerchcovitchSim, eles estão tortos. Mas vai a foto assim mesmo. São redondos e são musos. O que acontece: quando comprei meu óculos banhado de ouro, da coleção assinada da Chilli Beans, encontrei esse redondo, que também é assinado pelo Alexandre Herchcovitch. Eu já vinha namorando ele há muito tempo, desde que foi usado num desfile da marca Herchcovitch. Desde então estava apaixonado pelos modelos redondos e grandes.

Não comprei ele aquela vez, mas não resisti. Acabei fazendo mais essa aquisição. Hehehe… A verdade é que eu amo óculos de sol e quanto mais tiver, mais eu uso. Não saio sem.

Na hora de escolher, leve em proporção seu rosto. Para quem tem ele menor, os modelos mais suaves, estilo anos 20, ficam mais bacanas. Para os maiores (tipo eu), os grandões são ideais.

Por hoje é isso.

Beijo.

Douglas

Anúncios

Dois looks de uma vez

Com o frio que está fazendo no RS, não dá muita vontade de ser arrumar. Hoje a temperatura mínima foi de 1ºC, a mais baixa do ano. E tem sido assim a semana toda. Cada dia mais frio. Percebi uma falta de peças grossas e quentes no meu armário. Tenho que ficar fazendo sobreposições, pra não morrer de frio.

Tenho pouca coisa muito quente porque sou muito calorento e no frio habitual, um moletom e uma jaqueta são o suficiente. Como estou usando muitas camadas, pareço um boneco de neve e não tô fazendo looks do dia. Mas peguei dois que estavam arquivados da semana passada pra postar hoje.

Casaco de neopreneEsse casaco eu tenho há muito tempo. Desde 2007, mais precisamente. Ele foi uma das minhas primeiras grandes aquisições de roupa. O material é neoprene, que está super em alta. Uso ele muito pouco, porque o frio tem que ser muito forte (ele esquenta pra caramba).

Ele tem poucos detalhes, o que eu gosto. O ponto negativo, pra mim, é que preciso usar fechado, porque aberto ele fica com uma forma feia. É pra aqueles dias que quero causar mais impacto no visual, sem me puxar muito.

Moletom de pelosEsse moletom de pelos já me rendeu vários apelidos: urso polar, ovelha, Dolly… Mas, por mais que falem, eu adoro ele. Dá um efeito super legal no look, além de ser super quentinho. Comprei esse inverno e já usei várias vezes. E é assim: joga com um jeans básico e pá, tá pronto.

As peles e os pelos estão com tudo nesse inverno. Começaram a aparecer ano passado, foram hit no exterior e vieram para o Brasil com tudo. Mas ao contrário das jaquetas de couro, não tiveram tantos adeptos. Como dão muito volume, algumas pessoas (principalmente as mulheres), não gostam do efeito. Para ficar bacana, basta fazer um equilíbrio de proporções, usando uma calça mais justa.

O look que estou usando hoje está bacana. Quero ver se fotografo pra postar nos próximos dias.

Beijos,

Douglas

Look 1: casaco Colcci e calça Colcci

Look 2: moletom Doc Dog, calça Colcci e tênis Alexandre Herchcovitch para Pony

Listando filmes

Listando FacebookPost rápido porque estou na correria do fechamento de um Mais Atual e começando a produzir o próximo. Quero compartilhar a página “Listando”, que conheci hoje no Facebook.

Nela, os moderadores criam listas de filmes, separados por estilos, diretores, ou temas, e compartilham elas com links para baixar eles. Tem de tudo: “Filmes alucinógenos”, “Séries que viraram filmes” e até “Os filmes mais trashs da história”.

Vale a pena curtir a página. Se não tem paciência para baixar, ao menos pode pegar algumas dicas de filmes para aquele dia que quer dar uma passada na locadora. Para conhecer, clique aqui.

Beijos,

Douglas

Cabeceira pra quê?

Estou numa fase de gostar da decoração minimalista. Quanto menos detalhes o espaço tiver, acho melhor. Na região onde eu vivo, as pessoas gostam e usam tanto móveis antigos e com estilo colonial, que acaba virando uma overdose. Parece que os ambientes ficam parecendo cenário de novela de época.

Há um tempo observo as camas box usadas sem cabeceira. Costumava não gostar, mas é algo que tem me agradado mais. Alguns preferem pintar a parede de trás com outra cor, ou fazem um desenho. Mas a minha solução preferida é usar adesivos com estampas criativas. Além de moderno, é mais prático, podendo ser usado quando enjoar do desenho.

CabeceiraO adesivo não precisa ser comprado em loja de decoração, com os desenhos padronizados e no tamanho pré-determinado. Algumas gráficas oferecem a opção de a pessoa escolher a estampa que quiser e eles reproduzem ela no tamanho desejado.

Cabeceira 4Eu não sou muito fã de papel de parede, portanto, prefiro esse acabamento. Mas também pode-se misturar. Ah, sabe aquela porta que tu não gosta, ou uma parede? Pode fazer um painel adesivo.

Os preços variam de acordo com o tamanho do material. Fazendo em loja de decoração, se torna mais caro do que na gráfica. A vantagem é que eles dão uma garantia maior.

Cabeceira 3Acho essa opção perfeita pra quartos de criança, onde a decoração dura menos tempo, porque as fases passam muito mais rápido que as de um adulto.

Sei que não sou especialista em decoração, mas vale o toque, né?

Agora vou falar de um vídeo que assisti esse fim de semana e reúne duas coisas que eu curto: decoração e ambiente corporativo (escritório). A marca Reserva inaugurou mês passado seu novo escritório, no Rio de Janeiro. A proposta é bem diferente e chamou muita atenção. Pra matar a curiosidade das pessoas, eles fizeram um vídeo bem bacana mostrando desde a montagem até o resultado final do depósito antigo, que foi transformado em sede da marca.

Beijos,

Douglas

Meu look – calça clara

Há um bom tempo eu comprei uma calça clara (não é branca, não é bege, creio que seja off white), para ir a uma festa. Usei aquela noite e fiquei com a peça jogada no meu armário. Tinha muito medo de usar e parecer um médico. Trauma de quem já trabalhou em hospital.

Tentei customizar, não adiantou. Até que ela deixou de me servir. A calça ficou jogada no fundo do meu armário por mais de dois anos e eu não passei ela adiante por pouco. Comigo é assim, se uma roupa não me agrada mais, não deixo ela fazendo volume no meu guarda-roupas.

Com o tempo passei a ver a calça com outros olhos. Acredito que usar calças coloridas me ajudou nisso. Até que nesse inverno, simpatizei de vez com ela e decidi fazer alguns looks com ela. Esse de hoje é o primeiro.

Douglas PetryAcho peças claras no inverno super elegantes. O look todo, então, sem comentários. Mas tem que cuidar o dia que usa. Quando está chovendo, nem pensar em algo branco, bege, nude e etc.

Como cores claras dão a impressão de amplitude ao corpo e eu não estou lá muito em forma (oi? Sou real), evitei um look todo claro. Na parte de cima, repeti o blusão do look anterior. Não vejo problemas nisso, sendo que ele está limpo (não se sua no inverno e eu não babei ele! rs). Por cima, coloquei uma jaqueta que comprei em São Paulo, na Noir Le Lis.

É uma peça clássica, mas estilosa. A cor real dela é um camel, com os fechamentos em marrom tabaco. A cor fecha perfeitamente com a da calça, dando uma combinação elegante. Essa peça foi meu achado desse inverno (comprei em liquidação), e vou continuar usando por muitos e muitos, porque é atemporal.

Calça cremeNos pés, apostei no meu bom e velho coturno. Juro que hoje não repeti ele. Hahaha… Mas é uma cor muito boa, que vai com tudo e tira um pouco a seriedade do look. Tenho isso, por mais que tente me arrumar, não gosto de ficar muito arrumadinho. Preciso ter um toque despojado no visual.

Óculos de sol Ray BanPara arrematar, um bom e clássico óculos Ray Ban modelo aviador. Gosto muito porque é um acessório clássico, mas que dá um arremate despojado ao visual. Fica legal desde o look rock até o terno e gravata. Meu cabelo ficou feio desse ângulo. Hehehe…

As fotos são do meu celular, portanto, não são tão boas quanto a dos blogs “regulares”. Mas dá pra se divertir um pouquinho, né?

Beijos,

Douglas

Casaco: Noir Le Lis

Malha: Luigi Bertolli

Calça: Colcci

Coturno: Cavalera

Óculos: Ray Ban

Meu look – verde + roxo

Há um tempo atrás prometi que postaria mais looks meus aqui no blog. O tempo passou e eu acabei não publicando mais nenhum. Esse que vou mostrar hoje, usei ontem, no dia de trabalho. Meu foco foi na mistura de cores. Olha só:

Douglas PetryComo usei filtro pro Instagram, as cores não estão fieis. Lá no fim do post tem o quadrado com as cores certinhas. Esses dias de inverno são cinzentos por natureza, portanto, de vez em quando opto por usar roupas mais coloridas. Nem todo mundo tem coragem de fazer isso por medo de errar. Existem algumas combinações meio infalíveis: roxo + verde, azul navy + vermelho, + preto + branco (óbvio!), marrom + vermelho, dourado + branco, e por ai vai.

Essa calça eu comprei verão passado e ela não me servia (comprei na Dafiti). Como eu amava a cor, não mandei de volta, porque não tinha maior e ela foi uma das impulsionadoras para eu começar minha dieta.

Como o choque de cores é forte, eu neutralizei o resto do look. Jeans e cinza são opções ótimas para não errar e controlar qualquer overdose de tons. Claro que por se tratar de um verde claro e um roxo lavanda foi bem mais fácil que um pink + roxo maravilha. A jaqueta tem uns spikes, que eu mesmo customizei quando estava de férias (acreditem, passei quase uma semana customizando roupas). O lenço é outro elemento que eu adoro. Dá uma levantada em qualquer look.

Bota CavaleraNos pés fui com meu bom e velho coturno de guerra. Tenho ele desde 2010 e só esse inverno ficou confortável de usar. Mas se tornou meu calçado preferido pros dias frios. Quase não tiro. Não sei se já falei aqui sobre o tênis dourado.

Eu tinha um tênis dourado da Colcci que eu amava. Usava ele dia sim e outro também. Esse ano ele começou a ficar feinho, caidinho, esgaçadinho. Mas eu continuava usando. Até que, no primeiro dia que fui pra academia, não sei como, o zíper da minha mochila abriu e ele caiu na rua. Como eu estava de fones de ouvido, não percebi. Só fui ver na academia mesmo. #momentodesabafo

Enfim, esse coturno virou meu novo tênis dourado. E agora já me preocupo com o que usarei no verão, porque sou calorento e não carrego um calçado desses debaixo de 40ºC.

Óculos Chili Beans linha assinada Alexandre Herchcovitch banhado a uroEsse óculos é meu novo queridinho. É da linha assinada pelo Alexandre Herchcovitch para a Chilli Beans. Vi ele na loja do shopping aqui de Lajeado e caí de amores. Até deixei de comprar um redondo grande (que estava atrás há tempos), pra ficar com ele. Ele é banhado a ouro (dizem), portanto, trato como uma joia. O preço é o melhor de tudo. Fica na faixa dos óculos da marca. Super legal. E para quem ainda não conhecia, esse é meu novo corte de cabelo.

cores look do diaCasaco: Forum

Malha: Luigi Bertolli

Calça: Coca Cola Clothing

Coturno: Cavalera

Lenço: Calvin Klein Jeans

Óculos de sol: Alexandre Herchcovitch para Chilli Beans

Sonzinhos

SonzinhosQuem me conhece sabe a paixão que tenho pela música. É raro eu pôr o pé na rua e não colocar o fone de ouvido pra ouvir alguma playlist.  Agora que estou trabalhando numa sala individual para os cadernos que edito, posso ouvir até no trabalho, o que me faz uma pessoa muito mais feliz e produtiva. Com isso, descubro cada vez mais sons.

Por isso, a partir de agora darei dicas de sonzinhos que estou ouvindo bastante, pra aumentar a playlist de todo mundo. Quem também quiser compartilhar, está convidado a postar nos comentários.

Vamos, então, à minha primeira playlist. Tem música nova, nem tão nova e até velhas. Enjoy!

Manhattan, da Cat Power está sendo meu som de ir ao trabalho de vez em quando. Quem nunca se imaginou em outro lugar enquanto andava na rua? Pois é isso que acontece quando ouço.

Não é de hoje que eu amo Carla Bruni. É desde antes dela se tornar primeira dama francesa. Enfim, em Liberte’ acho que ela mostra uma de suas melhores performances. Um som que não sai tão fácil da cabeça. Adoro demais e sinto vontade de aprender francês toda vez que ouço.

Adoro músicas que misturam vocais femininos e masculinos. E Someday do Float Fall tem justamente isso. Presta atenção que logo ela explode em algum remix, todo mundo vai ouvir na balada e tu vai enjoar, Ouça bastante antes (digo isso desde Adele).

Adoro esse tipo de música, que chamo de “pra receber amigos em casa”. Cosmo Sheldrake + Anna Roo misturam um lounge, com algum orientalismo (alôr, tendência do momento), nessa Rich. Gosto muito e indico para colocar na playlist.

Ouçam Mistral até que comece o vocal de Roo Panes. Antes disso, pode parecer som de meditação. Mas é demais. O som vai evoluindo aos poucos, é uma delícia. Ideal para parar e pensar um pouco na vida. Quem não precisa disso?

Amo Lana Del Rey e geralmente amo todos os sons dela. Sou suspeito para falar. Queen of Disaster é para quem quer tirar aquela imagem de menina depressiva dela. Um som mais ensolarado, digamos assim.

Pra fechar, um sonzinho indie, com vocal feminino. Porque eu amo a voz feminina e a maior parte do que eu ouço é com uma mulher cantando. Esse som do Misterwives é uma delícia desde o pré sono até o momento a dois. Fiquem com Coffins.

Espero que curtam.

Beijos,

Douglas