Vai com o rebanho?

sheepsAs manifestações que estão ocorrendo no Brasil são lindas. Ver as pessoas tomando as ruas e exigindo seus direitos, é fantástico. Tirando aqueles que perderam a razão ao apelar para a violência e o vandalismo, outros estão de parabéns.

Mas esse fim de semana, ao ver uma manifestação que ocorreu em minha cidade, e na semana passada, ao presenciar o fim de outra, em São Paulo, comecei a refletir. Muitos transformaram os protestos em eventos sociais. Sim, tem quem realmente saiba qual causa está defendendo e realmente tenha uma opinião formada. Mas muitos estão mais preocupados em tirar uma foto do look do dia e ganhar mais likes com a tag #vemprarua.

Virou modismo. Fazer um cartaz bacana, que pode render uma foto viral no Facebook, ou parar uma estrada se tornaram quase a mesma coisa que ir ao cinema assistir o filme que causa burburinho no momento. Moda, moda, moda. A maldita moda. Entre meus pensamentos acabei lembrando do fenômeno sheeple, união das palavras sheep (ovelha) + people (pessoas). Ou seja, as pessoas se tornaram rebanhos com líderes.

Olha a definição da revista:

Sheeple, do inglês Sheep (ovelha) + People (Pessoas), é um termo pejorativo o qual atribui o comportamento de um rebanho de ovelhas de seguirem umas as outras ao fato de que as pessoas acreditam no que é dito sem uma pesquisa prévia sobre o assunto, o conceito de uma pessoa simplesmente seguir ordens de uma pessoa que parece confiável ou uma autoridade, o termo sheeple é constantemente utilizado nos cenários políticos e religiosos.

Segundo uma pesquisa divulgada pela revista Natural News, 95% das pessoas são sheeple. Seguem seu líder, abdicam de suas ideias e vão na onda do modismo. Perceberam como isso é comum na internet? Acompanhe alguns blogs. Muitos surgiram no boom da moda, fizeram algum barulho, e morreram. Olhe para o “Instafitness”. Quantas pessoas adotaram hábitos de vida mais saudáveis para se adequar às divas fitness?

Não que o sheeple seja algo negativo. Não julgo isso. Acredito que cada um saiba o que é melhor para si. No entanto, cabe a reflexão. Você realmente sabe o que quer dizer a foto que está compartilhando no Facebook? O escrito no cartaz que você leva para a manifestação condiz com a sua postura? A roupa que você veste tem a ver com sua personalidade?

Personalidade, aliás, é a palavra de ordem. Não a deixe de lado. Não vire uma ovelha besta. Só entre no rebanho que lhe disser alguma coisa de verdade. Senão, não tem cartaz em manifestação que faça sentido.

Quinto Trend de Moda: os blogs e o mercado

Quinto Trend de ModaDepois de uma quarta edição maior, o Trend de Moda está de volta à suas origens. Essa “temporada”, o tema abordado será os blogs de moda e a influência que eles causaram no mercado. Quem está conectado sabe como as meninas que postam looks do dia movimentam suas fãs, as fazendo comprar aquilo que é mostrado. Nem tudo são flores.

Aos poucos, os blogs se tornaram um meio de comunicação com anúncios, publicidade e posts vendidos. Desde o ano passado leitores e anunciantes estão mais atentos ao que é mostrado nesses canais, evitando enganação. Quem ajudou a criar o alerta foi a Blogueira Shame, que através de posts bem humorados e ácidos, mostrava que nem tudo era um conto de fadas na vida das meninas. Elas “enganam” muita gente. Mas claro, existem casos muito bons, que levam o trabalho a sério. Falaremos sobre isso também.

O evento ocorrerá dia 27 de junho, a partir das 19:30. Ainda confirmaremos o local, mas a data está estabelecida.

Além desse debate principal, falaremos sobre as tendências do inverno 2013 e teremos um bate papo sobre beleza e estética.

O que muda na edição?

Conforme falei no começo do post, a quarta edição foi maior. Apresentamos ela na Expovale, buscamos patrocinadores, etc, etc. O quinto Trend de Moda voltará a ser menor, intimista, focado num público interessado e qualitativo. Não focaremos em nada comercial (não teremos patrocinadores), apenas promoveremos amigos e negócios que acreditamos.

Queremos levar o Trend de volta às origens.

Fica o convite para todos!

Beijos,

Douglas

Só no branco

É inegável que o branco é uma das cores maus hypes desse inverno. Ela aparece tanto na dobradinha P&B quanto sozinha. É impossível não ver ela nas vitrines e nas araras de lojas nessa temporada. E o melhor: a tendência continua no verão.

Particularmente, eu acho o branco uma das cores mais incríveis, mas ao mesmo tempo, muito perigosa. Por ser clara, ela destaca todas as imperfeições, ao contrário do preto, que destaca. Quem está acima do peso, pode apostar nela com composições de cores mais escuras. Por exemplo: se for usar um vestido branco, sobreponha com um blazer preto ou azul marinho e voilà!

Outro cuidado importante: o tecido precisa ser mais encorpado. Se for mais fino ou “relaxado”, como a malha, marca e deixa tudo à mostra. E nem pensem em suplex branco, a não ser que você seja uma fitmaníaca no auge da carreira, com as celulites bem longe de sua bunda. Senão, já viu (e os outros verão mais ainda). Mostra tudo mesmo!

Ontem rolou o Skol Sensations, um dos maiores festivais de música eletrônica do Brasil. O dresscode pedia looks brancos. Como sempre, os sites deram destaque para as roupas das famosas. Algumas, como a Mirela Santos, escolheram o periguetismo que lhes é de costume. Não curto, portanto, nem comentarei aqui.

Curti três looks, que roubei lá do site Ego: Milena Toscano, Thaila Ayala e Giovana Lancellotti. Olha só:

51t7313A Milena Toscano apostou na elegância. Vestido curtinho, mas soltinho do corpo. A gola era fechadinha, sem mostrar nada demais. Isso é regra quando se quer apostar em algo que mostre demais uma parte do corpo. Por exemplo, quer deixar as pernocas à mostra? Tape o resto. Para arrematar, um sapato nude (que eu adoro com branco), combinando com a bolsa, e um colar de metal. Chique!

51t7243A Thaila Ayala tem um estilo alternativo e super ousado (no bom sentido). Misturar blusa de seda com jaqueta de couro e calça branca com uma bota carregada, não é pra qualquer uma. E ela acerta em cheio. Não sei se é ela ou um stylist que monta seus looks, mas sempre arrasa. Quer levar pra vida real mas tem medo? Faça escolhas. Pode trocar a bota por um sapato mais leve, ou tirar o batom escuro, pesar menos nos brincos, usar uma jaqueta colorida. Não esquece que o espelho é teu melhor amigo e antes de tudo tu precisa estar a vontade com o que está vestindo.

51t7422Por fim, Giovana Lancellotti. Outra que apostou num estilo chique. Reparem que o vestido é justinho, mas foi sobreposto com um blazer boyfriend, que deixou o visual mais elegante. Maxi anel e todos os acessórios grandes deixam o look total white mais interessante.

O branco está com tudo e vale optar por pelo menos uma peça na cor em um dos seus próximos looks, não acha?

Beijos,

Douglas

Eu fui pra academia

AcademiaSim, caros leitores, eu fui à academia. E mais: fui dois dias seguidos. Tudo começou na segunda-feira, quando, finalmente, coloquei na cabeça a importância disso e como me ajudaria no emagrecimento.

Quarta-feira fiz minha matrícula e a avaliação na academia Em Forma, aqui em Lajeado. Escolhi essa porque tem convênio com o jornal que trabalho e o valor ficaria muito em conta. O ponto negativo disso é que ela bomba à noite, melhor horário, considerando minha agenda.

Porém, decidi acordar mais cedo (bem mais cedo, às 6h), e começar a malhar às 7h. Comecei ontem e não pensem que foi fácil. A tentação de ficar na cama foi grande. Mas, já no caminho, acordei e me animei. Chegando lá, percebi que o pessoal desse horário é mais de senhores e pessoas comuns (sem as que só vão à academia pra encontrar a BFF).

Meu treino é para definir e emagrecer. O instrutor montou um plano que mistura cardio e musculação. Dá mais ou menos uma hora de malhação. Nas duas primeiras aulas fiz duas séries de cada exercício, mas a partir da terceira serão três.

Não vou dizer que me apaixonei por musculação. Bem pelo contrário, acho tedioso puxar ferro. Mas estou animado. O corpo ainda dói, mas logo acostuma com a nova carga. Agora a questão é se acostumar e gostar cada vez mais.

Meus dias de malhar serão segundas, quartas e sábados. Nos outros, tentarei manter a corrida que acostumei.

Beijos,

Douglas

Rapidinha: trufa zero Cacau SHow

Trufa zero cacau showÉ dia dos namorados, mas não para os solteiros. Enquanto as amigas fazem declarações para seus amados no Facebook, eu fico chupando o dedo. E a vontade de afogar a solteirice num chocolate veio logo depois do almoço de hoje.

Foi quando fiz a besteira de passar na Cacau Show. Mas, calma, Bella Mafissoni (minha nutri) e cia ltda. O estrago não foi tão grande. Encontrei uma trufa Zero Adição de Açúcar, com 103 calorias (contra 127 da versão normal do produto – pouca diferença). Mas é uma opção bacana, pelo pouco açúcar.

Escolhi a versão branca, porque eu adoro chocolate branco.

Olha a tabela nutricional abaixo:

trufa_trad_zero_acucar_0Beijos,

Douglas

Abre e fecha na moda brasileira

balmain-03Que o Brasil é o novo foco das marcas internacionais, não é segredo pra ninguém. Em pouco tempo, marcas renomadas como Chanel, Gucci, Dior e Prada abriram ou multiplicaram o número de lojas de luxo em São Paulo. Até mesmo um shopping foi montado para atender a demanda de um público que deseja o exclusivo. Se trata do JK Iguatemi, que desbancou o Cidade Jardim, que até então tinha a maioria das grandes marcas.

Sobreviver num país como o Brasil não é fácil. Chanel e Louis Vuitton têm planos de pagamento que chegam a 10 parcelas. Tudo para não deixar de vender e aumentar o interesse de quem quer comprar em quantidade, ou em um intervalo curto.

Uma das aberturas mais esperadas – e com as roupas mais caras – era a da Balmain, no Cidade Jardim. Estava tudo acertado. A loja montada, as coleções de verão e inverno 2012 compradas. Bastaria tirar o tapume da frente e inaugurar. A loja seria aberta pelas sócias Marina Mantega e Georgia Atalla, que se separaram.

A marca, com sede na França, decidiu, por esse motivo, segurar a abertura da loja até que a documentação seja toda passada para o nome de Marina. Resultado? As coleções perderão a “validade” até a inauguração. Ou seja, tudo o que já foi comprado, deixa de valer. Ela terá que arcar com o que já foi comprado e comprar mais. A loja ainda abrirá, só não se sabe quando. Os tapumes com a marca da Balmain foram substituídos por outros brancos, mas a loja está lá atrás, toda montada.

Enquanto isso, no mundo do fast fashion…

imagem_release_73097

O Brasil deve ganhar, ainda em 2013, uma nova opção de moda casual. Líder em vestuário jovem na Ásia, a Yishion, conhecida como a “Zara chinesa”, deve desembarcar no Brasil nos próximos meses. A afirmação é feita pelo diretor-presidente da Global Franchise, Paulo César Mauro, responsável por fazer a intermediação entre a marca e investidores brasileiros.

A investida no momento é importar os produtos para grandes redes varejistas, e já cogita estabelecer uma distribuidora brasileira. O foco inicial é expandir atuação nas regiões Sul e Sudeste. Há a ideia de criar uma loja conceito, para atrair os olhares mais exigentes. Os responsáveis estimam potencial para mais de 400 pontos de vendas no país.

A rede tem sede em Hong Kong e já está presente em mais de 20 países. Contudo, a ambição é grande: tornar-se líder mundial no segmento. Atualmente, a Yishion conta com 4 mil estilos por estação, proveniente de uma equipe composta por designers do Reino Unido, Paris, Japão, Coréia do Sul e Hong Kong.

De acordo com Mauro, a marca conta com cinco parques industriais na China e possui cerca de 50 mil colaboradores.O diferencial da rede está, principalmente, no quesito custo-benefício. Hoje, o que encontramos no Brasil com status de qualidade é oferecido a valores muito altos e a marca quer quebrar esse paradigma.

Enfim, o Brasil está mesmo no foco, seja de marcas de luxo, seja de redes de fast fashion.

No entanto, o mercado nacional não pode ser deixado de lado. Marcas e designers daqui precisam de investimentos governamentais e valorização dos compradores.

Beijos,

Douglas

Fashion film brasileiro com tudo

Jailbreak - JDQKERA onda de fashion films chegou ao Brasil. Um dos primeiros a apostar nesse novo mercado foi o fotógrafo Jacques Dequeker. Já consagrado na fotografia de moda, ele criou a DQKER Fashion Films. A empresa atende as principais marcas nacionais. Lembra do desfile 3D da Ellus? Foi feito por eles, numa tecnologia até então super exclusiva no país.

Hoje recebi um release falando que o curta “Jailbreak”, criado e dirigido por Dequeker, foi o único convidado a participar do Festival  Internacional de Fashion Films La Jolla, na Califórnia. O filme é estrelado pela top Carol Ribeiro e ainda concorre a três categorias das doze que compõem a competição.

Jailbreak concorre a melhor diretor, melhor atriz e melhor música. Entre os projetos deste ano, o fotógrafo realizará aqui no Brasil, a segunda edição do festival dedicado totalmente a filmes de moda, oevento será ainda maior e contará com a presença de tops internacionais e nacionais envolvidos com essa arte. Infelizmente o filme não está disponível on line para linkarmos aqui.

Essa participação é importante para muita gente começar a olhar com melhores olhos os profissionais brasileiros. Dequeker é um fotógrafo excelente, que encara a moda como um universo lúdico e cria histórias sem parar. A partir da Sputnik achada em uma feira de antiguidades, uma câmera russa 3D dos anos 50, ele inovou fazendo editorias e campanhas em terceira dimensão.

As influências de seus “mestres” Salvador Dalí e Helmut Newton, entre outros, são personificadas nas suas mulheres-heroínas. Ele encara a moda como um universo lúdico e cria histórias sem parar.

Alguns dos filmes produzidos por ele estão nesse link. Garanto que vale a pena assistir.

Beijos,

Gabi