Os pijamas da discórdia

Pijamas TildaFazer plantão de feriado numa revista de moda significa que todos que trabalharão farão um lanche coletivo, cheio de gulodices, e com um bate papo sobre feminices, que só nós entendemos. Claro que trabalhamos, mas, num clima muito mais leve que em outros dias, porque não tem telefone tocando, prazos, horários pra entrevistas, e etc.

E hoje foi um desses plantões. Em um dos nossos papos chegamos ao tema pijamas. A tendência não é novidade pra ninguém. Várias grifes (inclusive brasileiras) fizeram suas propostas para o conjunto. O estilista Marc Jacobs desfila (inclusive desfilou no Rio de Janeiro), seus modelitos. E aos poucos começa a ser usado por muitas pessoas no dia a dia.

Mas o que nos chamou a atenção foi que os pijamas, uma tendência vinda do street style, começou a ser usado nos red carpets. Até o Baile de Gala do Met, não lembro de ninguém ter usado. A primeira corajosa foi Sofia Coppola, com um modelito Marc Jacobs. Até então estava receosa se isso seria visto como ousadia ou falta de noção.

Até que hoje, vendo um apanhadão de looks do Festival de Cannes que a Camila fez, avistei Tilda Swinton com um pijama dourado e bem largo da grife Haider Ackermann. Ela é mais do que estilosa e tem um estilo mais alternativo. Acho que super combinou.

Há tempos venho achando besteira essa mania que as brasileiras têm de, ou vestir vestidos longos em festas mais formais (casamentos, festas de 15 anos, bodas…), ou andarem feito periguetes, com vestidos super justos. Uma proposta bacana, vista há mais tempo, é o macacão. Outra, o duo saia e blusa (que permite váááárias combinações posteriores), também acho o máximo. Mas, o atualizador de looks da vez, aquela combinação que dá um F5 no visual, é o pijama.

Na redação, a proposta dividiu opiniões. Estávamos entre sete pessoas. Quatro amaram e disseram que usariam (estou nesse grupo), e o restante achou pavoroso. Se pega ou não, só o tempo irá nos dizer.

Mas, e aí, vai encarar o pijamão?

Beijos,

Gabriela

Para ter unhas bonitas

unhas-210108Sempre tive um certo problema com as minhas unhas. O maior deles talvez seja que eu tenho mania de roê-las toda vez que fico nervosa. Já tentei de tudo para parar. Até aquela base que tem gosto de pimenta eu comprei. Mas não tem jeito. Eu tiro o esmalte para roer.

Quisera eu ter (uma mão bem cuidada e) as unhas lindas como as da foto acima. Mas minha realidade é essa:

Aceita um maxi-anel pra disfarçar? Mas é claro!
Aceita um maxi-anel pra disfarçar? Mas é claro!

Além disso, elas são muito frágeis. No fim de semana, quando costumo limpar a minha casa, por qualquer coisa elas quebram. O contato com a água deixa elas mais sensíveis. E não há esmalte casco de casco de cavalo que ajude.

Revoltada (vocês viram como eu ando revoltada?), decidi buscar algumas dicas profissas (que serviriam para mim e para quem lesse o blog também). Eis que recebi um release (eles sempre me salvam quando preciso postar alguma coisa e estou sem tempo ou criatividade), que achei muito interessante. As dicas são da Lady Nails, centro profissionalizante de reconstrução e decoração de unhas, em Curitiba, liderada pela especialista Diana Nails.

Dez passos teoricamente práticos para quem quer ter unhas bonitas.

Olho no lance:

1 – Alimentação saudável e adequada;

2 – Não utilizar produtos químicos e/ou agressivos sem luvas;

3 – Realizar, uma vez por semana, esfoliação das mãos para remoção das células mortas;

4 – Hidratar diariamente as mãos, preferencialmente, com cremes que contenham filtro solar, evitando assim o envelhecimento precoce;

5 – Não cortar excessivamente a cutícula, pois ela é a proteção natural contra bactérias e fungos. O ideal é apenas empurrá-la ou cortá-la superficialmente a cada 15 dias;

6 – Fazer unhas somente com profissionais qualificados em estabelecimentos que asseguram a esterilização de alicates;

7 – Manter as cutículas sempre hidratadas, elas prolongam a duração da manicure e protegem a matriz das unhas;

8 – Se possível, use removedores sem acetona, pois ela resseca as unhas tornando-as fracas e quebradiças;

9 – Não deixe de usar base antes da esmaltação, ela protege a unha de manchas, prolonga a durabilidade do esmalte e pode conter ingredientes que fortalecem as unhas;

10 – Utilizar produtos de qualidade, pois não importa se as suas unhas são curtas ou compridas, o importante é que estejam sempre saudáveis, uma vez que suas mãos falam por você.

Por que teoricamente? Porque eu não tenho tempo pra fazer tudo isso.

Vou me retirar e voltar pra minha revolta. Hahaha

Beijos,

Gabriela

#missãosuperhomem

Faz tempos que eu não falo da reeducação alimentar por aqui, né? A última vez que postei sobre esse tema devia estar na casa dos 90 e poucos quilos. Agora estou com 88,7 kg. Na verdade, estagnei na casa dos 88. Uma semana perco uns 200 gramas, na outra ganho 100g, na outra perco mais uns 200g…

Essa semana me irritei depois da minha última pesagem e decidi dar um jeito nisso (como minha consulta com a nutri é só daqui a duas semanas, vou me puxar pra chegar aos 85kg). No fim da semana passada me desanimei e fiz um dia lixo. Comi muito do que tinha vontade e não me arrependo (isso é importante).

No sábado entrei no Instagram à noite e fui na página da Lana Personal Trainer. Ela realiza entre as seguidoras a #missãomulher maravilha, que consiste em fazer exercícios diariamente durante 30 dias, por pelo menos uma hora, num nível sete (sendo 0 nível 10 o mais cansado que a pessoa já ficou). Além disso, é ideal que se tenha uma alimentação saudável, que ajuda no resultado.

Perguntei se menino poderia participar, e a Lana disse que sim. O nome da tag será: #projetosuperhomem. Serei o primeiro menino a participar (ai, que medo). As regras são as mesmas e comecei ontem.

missãosuperhomemPior do que enfrentar qualquer começo de dieta, foi enfrentar uma foto sem camisa! Odeio, odeio e odeio isso. Mas, voltando ao assunto: fiz uma hora de exercício aeróbico (alternando corrida e caminhada). Hoje minhas pernas estão doendo, portanto, o esforço valeu. Claro que a minha alimentação não foi 100% saudável, afinal, era domingo. Pra compensar, fiz um suco verde (segue a dieta abaixo), que a nutri me passou lá no começo da RA.

Ingredientes

  • Duas maçãs descascadas
  • Suco de um limão
  • Meio copo de água
  • Folhas de couve e/ou alface

Preparo

Picar e colocar tudo no liquidificador. Bater até virar um suco. No verão, colocar bastante gelo, pra ficar mais gostoso. Pode ser adoçado com adoçante.

Enfim, estou nessa missão agora. Além da reeducação alimentar, vou levar os exercícios a sério. Daqui a 30 dias veremos os resultados.

Beijos,

Douglas

O cabelo dos meninos

Andei numa fase meio desleixada com o meu cabelo. Depois do fim do ano passado, quando raspei uma das laterais, deixei ele crescer e acabou ficando sem corte definido. Estava horrível. Até que essa semana cheguei ao meu limite e resolvi marcar hora pra cortar. Eis o resultado (corte feito pela Marcela Martinez, da Casa Marcela Martinez):

New haircutMeu cabelo não é de fácil trato. Tenho três redemoinhos e ele tem vontade própria. É complicado manter um penteado, porque ele tende a ficar armado na parte de trás. A solução foi fazer um corte que eu seco ele todo para cima.

Por coincidência, fiz uma matéria sobre cabelos masculinos pra um dos próximos Mais Atuais. Acabei usando um release que mostrava uma entrevista do Danilo Torres, profissional do salão do Mauro Freire. Ele deu dicas bem interessantes. A primeira delas, que eu mais gostei, foi: “Chega de pensar apenas na praticidade, os homens podem sim, investir em produtos e acessórios para se sentirem bem consigo mesmo.” Nada mais sem graça que homem preconceituoso com cuidados na estética em pleno século XXI, né?

Outra dica é não fazer o “pézinho” por conta própria. O pézinho é aquela região atrás da orelha. Como a própria pessoa não enxerga lá, tende a ficar torto. Atenção também na altura das costeletas, que deve ser nos glóbulos da orelha (mais ou menos na metade dela). “Se os fios estiverem bem compridos o ideal é aparar, para isso basta pentear os fios para cima, e com uma tesoura sem ponta, cortar as pontinhas, dando um aspecto melhor até voltar ao cabeleireiro.”

Por fim, fala sobre os homens que gostam de luzes (nem comentarei se gosto ou não. Apesar do meu cabelo aparentar ter, elas são naturais): “E para aqueles homens que gostam de luzes, a dica é manter a suavidade, evitando que fiquem marcadas ou artificiais. Já os que querem maquiar os fios brancos, o mercado disponibiliza tonalizantes que cobrem em torno de 50% à 60% dos fios em apenas 10 minutos, sem deixa-los com aspecto artificial.”

Minha barriga não é negativa, e ponto!

barriga-negativa1As vezes bate o remorso do meio que eu trabalho. A tal da “ditadura da moda” não se restringe a roupas, mas chega ao físico. Depois do último São Paulo Fashion Week, que mesmo tendo poucos desfiles de beachwear, mostrou várias modelos lindíssimas, com corpo invejável e ostentando a tal “barriga negativa”, o termo virou mania e obsessão para muitas mulheres.

Estou com 30 anos. Meu corpo mudou muito nos últimos cinco. Na verdade, ele nunca deixou de se transformar. Logo depois da adolescência, que é quando as maiores transformações acontecem, decidi emagrecer. Isso foi aos 21 anos, quando comecei a trabalhar com comunicação (TV). Passei um ano e meio trabalhando nisso, até chegar ao ponto que desejava.

Depois dos 25 anos, não foi mais a mesma coisa para manter o peso. Eu precisei desenvolver artimanhas, como adotar a corrida, yôga, pilates… Chegando aos 30 e tendo a rotina de trabalho muito atribulada (não consigo me exercitar sempre), está mais complicado ainda. Mas não me estresso. Sou do tipo que, enquanto a calça 38 cabe, eu estou feliz.

Mas nessa busca pelo corpo perfeito, percebo que algumas mulheres piram e apelam. Depois da dieta do jejum, que se popularizou há algumas semanas pelo site da Vogue, e da barriga negativa, agora é a vez dos Instagrans e dos blogs de fitness bombarem na web. No entanto, nem sempre isso é saudável. Frequentei nutricionista por três anos. Hoje em dia tenho uma alimentação orgânica, com o máximo de produtos naturais. Mas sempre tendo como referência eu, meu corpo, meu estilo de vida e minha rotina. Não vale pirar e tentar virar uma Carol Buffara da vida.

Um hábito mais antigo que isso é a lipoaspiração. Na época que virou moda, lembro bem de mulheres que faziam (e ainda fazem) como se isso fosse a solução de todos os problemas e não necessitasse de uma dieta ou uma reeducação alimentar. Hoje de manhã li o artigo “Cirurgia reduz gordura, mas não emagrece”, do médico Arnaldo Korn (indicação da Luana, minha editora de beleza). Decidi compartilhar com vocês, porque achei muito esclarecedor.

“A procura por uma solução milagrosa que emagreça é incansável para algumas pessoas. Surgem modas de chás, farinhas, dietas com nomes estranhos e alguns optam até por medicamento, lamentavelmente nem sempre indicados por especialistas.

Há também quem pense que a cirurgia plástica é milagrosa e pode emagrecer. A solução mais procurada é a lipoaspiração, porém esse procedimento médico cirúrgico realizado em hospitais ou clínicas especializadas por um cirurgião plástico é indicado apenas para as pessoas que queiram remover gordura localizada e até modelar o corpo. “A cirurgia é realizada através de uma cânula introduzida no local desejado e trabalha semelhantemente a um aspirador de pó, só que em vez de pó, aspira gordura.”, detalha o diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica, Arnaldo Korn.

Muitos não sabem, mas o procedimento está contra-indicado às pessoas que tenham como único objetivo o emagrecimento, pois remove apenas gordura localizada, e não gordura generalizada. A remoção de gordura não pode exceder em média 7% do peso total por comprometer demais a saúde.

“Há pessoas que colocam todas as suas expectativas de emagrecer na lipoaspiração, com a ilusão de se livrar para sempre da dieta e da atividade física. Porém, após a recuperação da cirurgia o paciente deve procurar uma nutricionista e se matricular em uma academia para atingir os benefícios estéticos que almeja.”, orienta Korn.

Toda e qualquer cirurgia plástica deve ser feita com a avaliação e a indicação corretas de um cirurgião plástico. “É necessário estar muito bem atento aos prós e contras do procedimento e, o mais importante, aos deveres e obrigações após o procedimento, como por exemplo, curativos, medicações, uso de acessórios, dieta, atividade física, cuidados necessários, tempo de recuperação e conservação do resultado.”, destaca o diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica.

A lipoaspiração  não é um tratamento para obesidade. Ela apenas retira gordura de qualquer local ou região onde haja excesso como, por exemplo, o abdome, flancos, braços, pernas e papada, entre outros.  O máximo que o procedimento proporciona é um corpo de formato mais harmonioso.  Pode muito bem ser um incentivo para quem quer se animar e seguir uma dieta equilibrada para emagrecimento posterior. Para facilitar o pagamento, muitos cirurgiões plásticos trabalham com empresas que prestam serviço de assessoria administrativa e financeira que parcelam o valor, como o Centro Nacional de Cirurgia Plástica.”

Interessante e esclarecedor.

Boa sexta-feira.

Gabi

As marcas que amo (e compro) e as que amava (e não compro mais)

Esse post surgiu por desespero. Essa semana vesti três blusas (segunda, terça e quarta). Uma estava furada debaixo do braço (sendo que comprei inverno passado e usei pouco), a segunda cheia de bolinhas (tenho há dois invernos) e a última, a malha estava esgaçada (comprei ela no verão).

Há um tempo atrás cheguei a postar algo semelhante no meu Facebook, mas fiquei com medo e apaguei. Mas, como esse aqui é um blog que não ganha nada, eu preciso comprar todas as minhas roupas, e sou chato quanto a qualidade, resolvi dividir minhas opiniões com vocês.

Vou dividir a análise entre nove marcas que uso ou usava e três categorias: malha (camisetas), jeans (calças) e peças de inverno (blusões, moletons e casacos). Cada uma vai estar representada por um símbolo. Vamos lá…

Marca: Forum

CamisetaA malha das camisetas da Forum varia muito. O tipo usado para as t-shirts básicas, sem estampas é mediano. Tenho uma há um ano e ela só desbotou. A flamê é boa e tem longa duração.

Pra mim, o problema das t-shirts da Forum está na costura e nos acabamentos. Acho péssimo. A camiseta furada debaixo do braço que usei essa semana é dessa marca.

Jeans

O jeans (tecido) usado pela Forum é bom. Tem durabilidade e não cede com facilidade. O maior problema, ao meu ver, é a modelagem. Complicado de eu encontrar uma que fique bem pra mim, que tenho pernas grossas e mais bumbum.

O produto é básico e teria tudo pra ser um dos meus preferidos, no entanto, não pagarei caro por uma peça que não me veste bem.

Peças de inverno

Tive apenas uma experiência com uma peça de inverno da Forum. Um blusão que comprei esse inverno.

Bom, o tricô soltou “fiapos” as duas únicas vezes que usei e ficou com bolinhas nas mangas.

Nem comentarei mais que isso. Um arrependimento total.

Balanço final: amava e não compro mais

Marca: Calvin Klein Jeans

CamisetaAs malhas da CKJ são algo inexplicável. A estamparia é fantástica e a modelagem linda. Mas só nas duas primeiras usadas.

Depois de passar por algumas lavagens (não falo de máquina, falo de tanque + mão mesmo), ela esgaça e desbota. Sem mais.

Jeans

O melhor jeans que já vi e comprei. Modelagem boa, tecido de qualidade e acabamento caprichado.

Custa mais caro, no entanto, compensa o investimento.

Sempre que posso, compro um jeans da CKJ (principalmente em promoções).

Peças de inverno

Tenho algumas peças de inverno da CKJ e nunca tive problemas. Por serem peças básicas são atemporais e a qualidade é grande. Tenho um casaco há três invernos e ele continua atual e com aparência de novo.

Também são peças mais caras, mas o tempo de uso compensará.

Balanço final: continuo amando, só não as camisetas.

Marca: Cavalera

CamisetaAs camisetas mais criativas do mercado, mas que as vezes parecem adolescentes demais. A qualidade da malha é muito boa e o acabamento impecável.

Tenho peças da marca há algumas temporadas e parecem novas. Um investimento.

Jeans

O jeans (tecido) da Cavalera é bom. Mas a modelagem deles é muito grande. Pra terem uma ideia, uma calça skinny da marca no meu tamanho, fica parecendo uma reta.

Compre um número menor.

Uma vez comprei uma que cedeu três dedos. A troca com a marca foi fácil (meu problema foi com a loja multimarcas que me vendeu a peça).

Peças de inverno

Tenho só uma jaqueta da Cava. Gosto muito dela. Estilosa demais.

Só acho o preço que estão cobrando muito abusivo. Esses dias vi uma jaqueta de couro fake por quase mil reais. Um absurdo!

De resto, eu gosto.

Balanço final: amo e ainda compro.

Marca: Colcci

Nem vou publicar peça por peça. Gosto do design, da qualidade dos tecidos (claro que nem todos. Precisa saber escolher), dos jeans então, nem se fala. Nunca tive problemas com nenhuma peça da marca.

Balanço final: gosto e continuo comprando.

Marca: Reserva

Mesma situação da Colcci. Nunca provei o jeans, mas as camisetas eu acho super bacanas e a qualidade das peças de inverno é muito boa. Destaque pra estamparia, sempre criativa.

Balanço final: uma marca ok.

Marca: Doc Dog

CamisetaA malha das camisetas da Doc Dog varia muito de peça para peça. Tive uma que durou uma temporada, já tenho outra que uso há mais de três anos.

É questão de saber escolher e ser bem seletivo. Os preços são bem razoáveis.

Jeans

Jeans muito bons. Tive uma calça skinny que usava dia sim e outro também porque era muito confortável. A duração dela me surpreendeu por ser um tecido mais fino que o normal. Acabamento e modelagem muito bons.

*Não tenho nada de inverno da marca.

Balanço final: marca jovem, bacana e eu compro.

Marca: Triton

Camiseta

A malha da Triton é “marromenos”. As camisetas, tipo, duram. Mas é raro surpreenderem de tanto tempo que você usou. Percebo que o acabamento não é muito bom, o que prejudica as peças.

Jeans

Jeans com preço muito bom. A modelagem é complicada (talvez por ser da mesma fabricante da Forum, mas não justifica porque também é a mesma da Colcci, enfim). Preciso escolher muito quando quero comprar uma calçao da Triton.

Peças de inverno

Tenho uma jaqueta corta vento com design esportivo há muito tempo. Comprei em promoção, paguei baratinho e adoro. A qualidade é muito boa. Uma peça durável e com aparência bacana.

Balanço final: gosto da marca e continuo comprando.

Marcas: Ellus e 2nd Floor

São as minhas preferidas em termos de qualidade. Pra quem não sabe, são a mesma marca, mas uma é clássica e a outra, jovem. Os jeans são muito bons (tanto em modelagem, quanto em qualidade e inovação). As malhas excelentes. As estampas da 2nd Floor são mais interessantes, mas isso depende do gosto de cada um.

Balanço final: amo e continuo comprando.

Marca: M. Officer

Jeans

Tenho algumas calças jeans da M. Office e a considero sem comentários. Modelagem, acabamento e qualidade demais. Uso uma calça há pelo menos três anos e ela continua nova (sem essa de que jeans fica mais bonito velho).

Preços muito bons, comparáveis com a Zara e qualidade que deixa muita marca “renomada” no chinelo.

Não tenho malhas e peças de inverno dessa marca.

Balanço final: adoro e compro as calças jeans.

Enfim, essa é a minha avaliação. Quem discordar, tem todo o direito de reclamar, só não apelar. Estou falando das marcas, não das lojas que as revendem em Lajeado, que isso fique bem claro. Essa análise foi feita baseada em peças que eu comprei e com os cuidados indicados na venda.

Até mais,

Douglas

A roupinha do ballet

Que mulher nunca sonhou em dançar ballet? Ou ao menos vestir aqueles tutus lindos, que lembram roupas de princesas? Lindo demais! Sou fã dessa estética e fui muito feliz na época que as sapatilhas de bailarina ficaram em alta, por causa da Amy Winehouse.

Convenhamos que não se pode andar por ai com uma saia de tutu. Ou um collant muito fininho (o tipo usado pelas bailarinas). Mas essas peças são lindas para apreciarmos muito. Recebi um release contando que, pela primeira vez desde a fundação, em 1948, o New York City Ballet fará uma venda de seus figurinos.

Alguns trajes feitos sob medida para o corpo de ballet, tutus, sapatilhas, croquis e objetos de cena estão a venda desde ontem no site do One Kings Lane.  A renda arrecadada será revertida para a companhia de danças.

Entre os destaques da leva, há um livro autografado por todos os bailarinos do NYCB e sapatilhas usadas e assinadas por dançarinas importantes, como Maria Kowroski, Ana Sophia Scheller e Wendy Whelan. Confira nesta página mais peças que estarão disponíveis no e-commerce.

Dá uma olhada na seleção de peças:

Balé NY 2
Sapatilhas vermelhas da bailarina Ana Sophia Scheller, US$149 ou R$ 300; tuti usado em Symphony in C, US$1.999 ou R$ 4 mil; e tutu de Janie Taylor, bailarina principal de Symphony in C, US$2.499 ou R$ 5 mil
Balé NY 3
Tutu usado por Darcu Kistler na peça Diamonds, US$5.999 ou R$ 12 mil; tutu usado na peça Divertimento, US$2.999 ou R$ 6 mil; sapatilha usada pela bailarina Wendy Wheelan, US$149 ou R$ 300;
Livro Ballet, de Henry Leutwyler, com introdução de Peter Martins. A obra ganhou o autógrafo de todos os membrod do NYCB e estará à venda por US$999 ou R$ 2 mil
Livro Ballet, de Henry Leutwyler, com introdução de Peter Martins. A obra ganhou o autógrafo de todos os membrod do NYCB e estará à venda por US$999 ou R$ 2 mil
Vestido usado por Kyra Nicholas em Brahms-Schoenberg, US$3.499 ou R$ 7 mil; Brincos de prata com cristais criados por Jamie Wolf para a peça Symphony in Clack, US$ 220 ou R$ 440
Vestido usado por Kyra Nicholas em Brahms-Schoenberg, US$3.499 ou R$ 7 mil; Brincos de prata com cristais criados por Jamie Wolf para a peça Symphony in Clack, US$ 220 ou R$ 440

 

Croquis masculino e feminino dos figurinos da peça Symphony in C, assinado por Marc Happel, mais três retalhos dos tecidos usados da fabricação, US$299 ou R$ 600, cada
Croquis masculino e feminino dos figurinos da peça Symphony in C, assinado por Marc Happel, mais três retalhos dos tecidos usados da fabricação, US$299 ou R$ 600, cada
Top usado pelo bailarino Joaquin de Luz, na peça Midsummer Night's Dream, US$3.999 ou R$ 8 mil; Detalhe de uma das saias dos figurinos do NYCB
Top usado pelo bailarino Joaquin de Luz, na peça Midsummer Night’s Dream, US$3.999 ou R$ 8 mil; Detalhe de uma das saias dos figurinos do NYCB

Pra mim, é no mínimo inspirador. Desejo de ter uma dessas peças.

Beijos,

Gabriela