A adele engordou? – by Camila Brasil

Adele premiações 2013A Victória (Couto e não a Beckham) é uma amiga que me liga depois de cada red carpet pra saber o que eu achei das famosas. E ontem ela me ligou. Mas a primeira pergunta dela foi diferente da habitual. Ela me pediu: “Amiga, o que houve com a Adele? Ela engordou tanto em tão pouco tempo?”

Fiquei sem entender muito o que ela falou e não respondi antes de olhar a foto. Realmente a Adele estava bem “encorpada” no Oscar. Mas antes de julgar, decidi fazer um retrocesso das últimas premiações. Na foto acima, a primeira imagem é do Globo de Ouro (13/01), a segunda é do Grammy (10/02) e a última do Oscar, no domingo passado.

Convenhamos: não tem como uma pessoa engordar tanto em duas semanas. Muito menos continuar com o rosto como estava antes. Por isso, cheguei à brilhante conclusão: o vestido que ela usou no Oscar a-ca-bou com ela. O que faltou? Cintura.

Essa é a regra número um para qualquer stylist que veste uma mulher acima do peso: valorizar a cintura. Porque usando esse artifício, ajuda a disfarçar a barriga e valorizar a “parte mais magra”, formando uma silhueta interessante. Seja quem for o stylist dela, sem delinear o corpo e ainda usando um tecido com brilho, a deixou parecendo o céu de um planetário.

Portanto, amiga Victória, repito o que disse pelo telefone: a Adele não engordou. Ela apenas estava com o vestido errado, na modelagem mais errada ainda.

Entendido?

Beijos,

Mila

Anúncios

Vou ficar fininho. Só que não – by Douglas Petry

Gordura-abdominalO dia que eu decidi que levaria a minha dieta a sério (sem correr pro telefone pra pedir um xis no fim de semana), logo pensei em procurar ajuda profissional, ou seja, uma nutricionista. Como conheci a Bella Mafissoni no último Trend de Moda e super simpatizei com ela, tratei de marcar uma consulta para conversarmos.

O primeiro dia foi aquele temor. Tirar medidas e se pesar não deixa nenhum gordinho feliz, né? Sabia que estava gordo. Mas o que os olhos não veem o coração não sente. O susto foi o seguinte: tenho 1,78 metros, pesava 105,2 kg, tinha a circunferência abdominal de 107 centímetros e um índice de massa corporal de 33,29, ou seja: tinha obesidade grau I.

Não me surpreendi, porque sabia que estava muito acima do peso. Minhas roupas (as mais largas até alguns meses) me mostravam isso quando insistiam em ficarem justas. Até meu chefe comentou um dia que eu tinha engordado muito.

Como na primeira semana as nutricionistas não entregam dieta, eu segui a minha própria, diminuindo as gorduras e os carboídratos. Isso foi essencial para eu entrar no plano alimentar sem morrer de fome e frustração por não poder comer demais, nem aquelas “delícias” que só uma fritura produz.

A dieta que estou seguindo com o auxílio da nutri é protéica. Ou seja, diminuí muito o consumo de carboídratos. O pão deixou de ser branco e passou a ser integral. O arroz e a massa ainda não tive coragem de trocar. Bebo muita água durante o dia. Como as frutas certas nos horários certos e evito passar fome.

Entender a importância de comer de três em três horas é essencial. Mesmo que não tenhamos fome, é importante se alimentar. Quando nosso organismo recebe comida ele entende que pode liberar as calorias que guardou da refeição anterior. Ou seja, se não comermos, ele armazena a “gordura”.

A principal mudança na minha rotina foi começar a tomar café da manhã, que até então era uma refeição inexistente para mim. Já acostumei e sinto falta quando não consigo me alimentar antes de ir trabalhar. Como me alimento às 7:30, lá pelas 9 horas a fome bate de novo e como alguma coisa (uma fruta ou cookies integrais).

Ah, também  precisei ELIMINAR os refrigeirantes. Como não gosto dos “Zero” (cheinhos de sódio), e só bebia os normais (que um copo equivale a 16 colheres de açúcar), só bebo água.

Não vou passar a minha dieta aqui porque, como a Bella explicou, ela foi feita pensando no meu corpo e nos meus resultados. Cada pessoa precisa da sua para surtir efeito com saúde. E sobre o título: não vou ficar fininho porque tenho estrutura óssea grande, ou seja, sempre vou ser encorpado (e nem quero secar).

Meu objetivo são 80 quilos, sem meta estipulada para chegar lá. No momento estou em 99,1 kg. Sim, emagreci 6,1 quilos em um mês (três semanas com o plano alimentar). Tinha feito uma pilha de camisetas “só usar quando emagrecer”. Ontem transferi 12 para o monte “uso no dia a dia”. Aos poucos vou dividir “esses momentos meus” aqui com vocês. Espero que curtam.

Beijos,

Douglas

Joan and Melissa – by Gabriela de Oliveira

Joan and Melissa Joan Knows BestSabe aquelas noites, depois de um (longo e cansativo) dia de trabalho, que tudo o que você mais quer é deitar no sofá, ligar a televisão e se distrair? Pra mim esse dia é geralmente a segunda-feira, porque organizo a agenda da minha semana toda e organizo o que ficou para trás da semana anterior e adianto o que puder. Nesses dias, meu controle remoto tem um canal salvo nos favoritos: o E Entertainment.

Pra quem não conhece, o E! é quase uma Rede TV! dos Estados Unidos. Na verdade a ideia inicial do canal brasileiro era pra ser tal e qual, mas ai desandou a maionese e deu no que deu. A emissora americana vai a todos os red carpets possíveis e imagináveis, tem ótimos programas, como Fashion Police, The Soup e Chelsea Lately, e os reality show mais baphonicos da televisão (tooooooda a saga Kardashians).

Pois ontem, no meu momento entretenimento, botei no E! e vi que na programação estava o “Joan and Melissa – Joan Knows Best?”. Na sinopse dizia que é um reality que acompanha a convivência da humorista e apresentadora Joan Rivers e sua filha, Melissa Rivers. Sabe humor pastelão? É mais ou menos isso.

Como todo reality que conhecemos, ele não tem nada de realidade. É tudo muito bem ensaiado (e não fazem questão de esconder isso). Mas as situações fazem, ora você se impressionar com a falta de noção da Joan e depois se identificar com alguns acontecimentos.

Um breve resumo d história: tudo começa quando Joan resolve largar a vida em Nova Yorque para fazer parte da vida da filha Melissa e do neto Cooper. Chegando lá, ela vê que a filha está morando com o namorado, abrigando um amigo desempregado e com uma babá sueca muito sexy.

Os conflitos mais engraçados são os da Joan com a babá, por causa das roupas sensuais que a empregada usa. No segundo episódio, ela leva a pobre criatura pra uma loja de uniformes, onde compra um vestido uns 10 números maiores. Outra cena que arranca gargalhadas dos telespectadores é quando a mãe invade o banho da filha para tirar fotos dela nua, tentando convencê-la a posar nua pra uma revista.

Frase icônica: segurando uma montagem de Melissa na capa da tal revista, Joan diz: “O maior orgulho de uma mãe é poder dizer: está vendo essa piranha na capa? Esta é minha filha.”

O reality está na terceira temporada nos EUA (estreia dia 23). O E! brasileiro está passando a primeira, gravada em 2011. Toda segunda-feira, às 22 horas, começa a passar o episódio inedito da semana anterior, e às 23 horas, começa o novo episódio. Ontem foi ao ar o 1X3, que reprisa durante a semana. Vale a pena assistir, porque a graça de “Mulheres Ricas” ficou no ano passado.

Beijos,

Gabi

Os looks da Eliana – by Camila Brasil

Eu percebo que na blogosfera se fala muito sobre looks de celebridades internacionais, exaltando as produções (ou desleixo) delas e pouco se repara nas nacionais. Curto assistir televisão aberta para ver o que elas estão vestindo. Tipo a Ana Maria Braga fazendo cosplay de Madonna (Torquatto deve se arrepender até hoje de ter feito a tal “transformação”), ou a Xuxa, com o mesmo tipo de botas que usava nos anos 80 e looks horrendos, achando que está arrasando.

Embora tenhamos esses casos negativos, também temos bons exemplos. Acho o figurino da Fernanda Lima (Amor & Sexo), simplesmente fenomenal. Da Sabrina Satto (Pânico na TV), assinado por Yan Acioli, tão fantásticos quanto. A diferença entre os looks: enquanto a Nandinha usa e abusa de estilistas internacionais, algumas vezes até com peças vintage, a Sabrina valoriza mais os designers brasileiros, usando sempre o que há de mais passarela.

Quem vem me chamando a atenção ultimamente é a Eliana. Não vale comparar ela com a Xuxa só porque as duas foram apresentadoras infantis (porque o mau gosto da Xu é algo sem igual). A loirinha do SBT vem chamando a atenção com um figurino bem desenvolvido, assinado pelo stylist Higor Alexandre, que mescla grandes marcas internacionais, como Stella McCartney e Dolce & Gabbana, com nomes nacionais, como Carina Duek e Matha Medeiros. É praticamente uma mistura do que a Fernanda e a Sabrina vestem.

Look Eliana 1Sim, a Eliana é linda. Mas é um desafio vesti-la. Sua altura não favorece muito (se não me engano, ela mede 1,56 m), e também não é nem magérrima nem malhada. Ou seja, longe de ser longilínea como a Fernanda e longe de ter super curvas para valorizar.

Um dos truques usados pelo stylist: pernas quase sempre à mostra.

Look Eliana 2Vestidos curtos, minissaias e shorts são frequentes na produção da apresentadora. Ah, e saltos sempre altissímos (na maioria das vezes assinados por grandes nomes internacionais, como Manolo Blanhik e Louboutin).

Outra alternativa usada por ele são macacões e vestidos longos. Truque antigo para alongar as baixinhas.

Look Eliana 6E reparem, muitas vezes ele usa uma terceira peça, como um casaco ou um blazer, que ajudam a criar a ilusão de uma silhueta mais alongada.

Reparei que, quando ela voltou de licença maternidade, seu cabelo estava cortado na altura dos ombros, o que é uma boa alternativa para as baixinhas, porque o cabelo muito longo encurta a silhueta. Agora, que ele cresceu, muitas vezes é usado preso.

Look Eliana 4Outra coisa: vocês repararam que a make dela é sempre muito discreta? Praticamente uma make nada. Eu curto.

Ah, e não posso deixar de falar dos acessórios, sempre muito bem escolhidos de acordo com o look. Alguns maxi e outros discretos.

Look Eliana 3Para concluir, vejam mais alguns looks da loirinha, que eu curti (e roubei do site dela: daquidali.com.br).

Look Eliana 5Look Eliana 7Look Eliana 8Claro que, nem sempre o stylist acerta. Mas, na maioria das vezes, eu curto as escolhas. E ai, vale ou não a pena ligar a TV no domingo de tarde pra dar uma espiada nos looks da Eliana?

Beijos,

Camila

Testando o BB Cream – by Gabriela de Oliveira

BB Cream

Eu desconfio muito de toda novidade “milagrosa” que o mercado de cosméticos oferece. Parece que sempre tem alguma coisa que dará errado. E o pior, sempre tem mesmo. Lembro a primeira vez que usei primer. Tinha alergia e não sabia. Resultado: minha pele ficou irritada por uma semana (o sofrimento seria muito menor se eu não precisasse passar maquiagem todos os dias, porque trabalhava em TV na época).

Logo que anunciaram o BB Cream, acho que fui a primeira da redação a questionar a eficácia. Me dei ao direito de ignorar por muitos meses. Até que um dia, há duas semanas, a Luana, nossa super editora de beleza, chegou com duas opções para mim: a da MAC e da Maybelline. A única coisa que ela disse ao praticamente atirar os dois tubos na minha mesa foi: experimenta e depois me diz o que achou.

A primeira coisa que fiz foi tentar entender a reação exaltada da Lú pedir conselhos pra Lú de quando eu poderia usar e qual a melhor aplicação. Ela me explicou que o BB Cream (Blemis Balm Cream), regenera a pele por juntar, no mesmo produto hidratante, protetor solar e base. A promessa, segundo ela, é de que ele substitua o primer e a base, mas o efeito depende da pele da pessoa.

Realmente, ele substitui o primer. Tanto o da MAC quanto o da Maybelline cobriram as imperfeições da minha pele quando passei. Mas, nem de longe, ele substitui a base. O segundo se espalhou melhor, e mesmo assim deixou algumas falhas. Como eu tenho a pele oleosa, passava pouco durante o dia, por medo que prejudicasse o resto da make quando eu suasse. Mas o efeito deles é o mesmo do primer, o que eu gostei.

Se pretendo continuar usando? Sim, dependendo da make que farei. Achei perfeito para a noite (quando fica menos quente e diminui a oleosidade da minha pele). Para o dia, continuarei no meu combo: protetor FTPS 100, creminho hidratante da Chanel, primer MAC e as makes.

Viu só, dona Luana? Fui uma aluna exemplar! Haha… Ah, e o meu escolhido é o da Maybelline.

Beijos,

Gabi

O tal do suco verde – by Douglas Petry

Suco verdeConfesso que eu sempre tive medo do tal “suco verde”. Via as celebs andando pelas ruas de Miami com uma garrafinha com aquele líquido verde escuro e ficava aflito. Pensava: “Como podem gostar disso? Deve ser clorofila pura.” Quando comecei a frequentar a nutricionista (sim, estou me tratando com nutricionista. Mas isso é assunto pra outro post), uma das primeiras coisas que perguntei pra ela foi sobre a eficácia do tal suco.

Ela falou que é muito bom e que pode até substituir um lanche (seja da manhã ou da tarde) e que é ótimo para aqueles dias que nos passamos na alimentação. Nisso, fiquei mais confiante.

Quinta-feira passada, quando recebi minha dieta, entre outros sucos bons para essa fase, a Bella me passou o tal suco verde. Me surpreendi, porque ele é bem mais simples que outros que eu tinha visto na internet, que levavam aipo, salsão e até melancia. Convenhamos, quem tem ânimo pra ir atrás desse monte de coisas para fazer um suco? Eu não.

A receita da Bella é bem simples:

Ingredientes:

  • Duas maçãs descascadas
  • Suco de um limão
  • Folhas de alface ou de couve
  • Meio copo de água

Para preparar, é só picar tudo e bater no liquidificador.

Eu adocei um pouco, pra dar uma enganada. Mas o gosto ficou super agradável. Na hora de optar pela alface e a couve, fui na alface, porque considero o gosto menos forte. Conversando com uma amiga, ela disse que a couve é mais eficaz, o que não tenho certeza (vou perguntas para a Bella).

Acho essa dica boa para um pós-feriado, quando muita gente passou dos limites e tá precisando de um detox.

Beijos,

Douglas