Fashion Rio S/S 2013: um passeio pelo evento

Olá!

Vim para o Rio de Janeiro e adivinha quem veio me visitar? A minha companheira enxaqueca. Não bastasse isso, tive um problema com a minha bagagem e passei boa parte do dia de pé. Ou seja, estou um caco.

Por isso, hoje não rolará o post com as minhas escolhas. Quem tem enxaqueca sabe como é difícil se concentrar com essa dor insuportável. Por isso, amanhã, com calma, vendo as fotografias, farei as escolhas.

Pra não dizer que o Fashion Rio só vai começar um dia depois aqui no It, a Camila, uma das repórteres da minha equipe, escreveu um post apresentando alguns pontos da nova “casa” do Fashion Rio. Então, bora lá passear com a Mila! Eu volto amanhã.

Beijão,

Gabi

Mudamos de endereço. Trocamos a água pelos gramados e pistas de corrida. Não que não vejamos água por aqui, afinal, o Jockey Club fica na Zona Sul do Rio de Janeiro e é rodeado por lagoas, lagos e afins.

Nos preparativos para receber a Rio +20, o Pier Mauá não pôde receber o Fashion Rio, e o Jockey, que fica no coração do Jardim Botânico, foi o plano B. Em meio à mudança, surgiu a ligação da natureza exuberante do Rio, com o tema Botânica.

Por aqui, convenhamos, muita coisa ainda lembra o improviso. Nas salas de desfile, muita gente fica em pé. Com os atrasos de mais de uma hora dos desfiles, essa é uma missão muito árdua.

Da entrada até as salas de desfile, a distância é de 200 metros. Pra facilitar a vida das fashionistas que se jogam no (e em alguns momentos do) salto, a Riachuelo disponibilizou alguns carrinhos de golfe para nos carregar. Amém!

Logo na entrada nos deparamos com lindas imagens de botânica da cidade. Do outro lado, tem o lounge do O Boticário. O espaço da marca de cosméticos foi decorado com orquídeas brancas e vasos de vidro.

A cenógrafa Mari Stockler, responsável pelo Fashion Rio há algumas edições fez uma decoração com intervenções gráficas nas paredes, com ilustrações que parecem as de livros de ciência, com nome científico de diversas plantas com citações de artistas e escritores, remetendo à esperança do meio.

E lá no fundinho do evento, quando todo mundo perdeu as esperanças, lá está ele, o restaurante Dee Vine que, como bem diz o trocadilho do nome, é divino! Ah, pra quem está de passeio pelo evento, tem um cafézinho esperto servido pela Riachuelo. Ou seja, depois de bater muita perna, nada melhor do que sentar nas cadeirinhas de madeira e apreciar a bela vista da cidade maravilhosa!

Espero ter trazido vocês pelo menos um pouquinho pra dentro do evento!

Beijo!

Camila

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s