Regras para sobreviver ao avanço do varejo

Ou você evolui, ou ficará no mesmo lugar, com um público cada vez menor e prejuízos cada vez maiores. Essa é uma das primeiras frases que eu costumo falar nas reuniões de consultoria que dou aos meus clientes de varejo. Hoje em dia, com a popularização do mercado da moda e a abertura exacerbada de lojas, falhar é cada vez mais fácil e perigoso.

Convivo nesse meio há quatro anos e já aprendi o suficiente para dizer: esse é um mercado que necessita de inovação. Essa deve ser, a todo o momento, a palavra chave para um negócio. Isso não quer dizer que o proprietário da loja do interior deva comprar aquela roupa que ninguém usará. Mas ele tem a obrigação de sempre se adaptar às novas necessidades dos clientes.

Costumo comparar com o cinema. Se o cinema da sua cidade tem um filme bom de drama, que lota em todas as sessões e ele começar a exibir sempre o mesmo filme, em pouco tempo ele estará às moscas, não é mesmo? Pois com uma loja é igual. Se um cliente entrar e ver sempre o mesmo tipo de roupa, sem nenhuma novidade, logo ele não entrará mais, pois sabe exatamente o que aquela loja tem a oferecer.

Para formar uma boa loja de varejo, é preciso que sejam seguidas algumas regras. a primeira é ter um foco de consumidor e conhecer ele a fundo. Não há como uma loja só agradar da novinha à vovó. Dessa maneira, tudo tende a virar uma bagunça generalizada. E não é incomum isso ocorrer. Muitos varejistas acham que ainda trabalham na época em que um estabelecimento deveria vender de tudo e enfiam todos os tipos de roupas possíveis e imagináveis dentro dele.

Depois disso, entra a inovação. Se o vizinho faz uma coisa bem, faça melhor. Não repita uma receita só porque fulano de tal conseguiu se dar bem dessa maneira. Crie a sua. Dê sua cara a uma ideia que já pode ser batida. Nunca se esqueça que a sua loja deve ter a sua identidade sem cair na mesmice do ‘todo mundo faz assim’.

E não esqueça: uma loja deve manter uma conexão entre sua identidade de estilo, visual e varejo alinhadas. Nada pior do que uma campanha publicitária linda, um estabelecimento bacana e roupas antiquadas. Tudo deve conversar entre si. É como se vestir. Combine tudo! Ao ver seu anúncio, ou o layout do seu prédio ou vitrine, o cliente vai imaginar o estilo das roupas. E nada pior do que ele entrar e ver justamente o oposto. Tenha bom senso!

Abaixo, uma lista de dicas que sempre dou aos clientes e que pode ser útil a quem quer se aventurar nesse ramo do varejo.

Desculpem a ausência do blog, mas a vida anda muito corrida. Com o tempo eu retorno!

Beijos, beijos

Gabi

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s