Inverno 2012 – SPFW, dia 6

O sexto e último dia de São Paulo Fashion Week, com certeza merece o título que demos. Não só o dia, mas toda a temporada, vai deixar saudades. Amamos a maioria dos desfiles e não vemos a hora de chegar o inverno para adotar as propostas apresentadas.
Vamos ao dia de hoje. Neon fez uma apresentação de poucos looks e com quase todos contidos, fugindo um pouco à imagem que a marca firmou ao longo do tempo. Mas Neon é Neon e as estampas não podem faltar.  E elas estavam lá, lindas, inspiradas em Istambul. O desfile foi um show a parte, com trilha que contava com Maria Callas e no fim, ao vivo, a bateria da Águias de Ouro quebrava o clima austero.
Depois, já na Bienal, foi a vez de Fernanda Yamamoto mostrar a evolução de seu trabalho. Ela, que ficou marcada por uma coleção inspirada na Hello Kitty (ou seja lá como se escreve), mostrou que cresceu muito no desenvolvimento de sua coleção.
Na sequência, Alexandre Herchcovitch apresentou suas propostas para o inverno masculino numa coleção super inteligente, que tinha um peso pessoal para o estilista devido a inspiração, que era o judaísmo, sua religião. Peças muito usáveis e comerciais foram bem apresentadas em looks feitos para a passarela. Mais uma vez o estilista provou que pensa muito bem suas criações antes de apresentá-las ao público.
A Amapô, assim como Fernanda Yamamoto, amadureceu. A coleção foi muito mais contida do que as anteriores e as propostas de looks super inteligentes e usáveis. Destaque para as peças que mostravam o esqueleto das peças, sugerindo a forma que a roupa é construída.
E para fechar a temporada, André Lima trouxe um inverno muito inspirador, tirado de suas várias viagens, mas sempre pendendo pro orientalismo. Outra coleção inteligente, que satisfez o público presente.
Agora, veja um pouquinho mais sobre cada grife.

Dudu Bertholini e Rita Comparato criaram uma coleção inspirada em proporções, flores , “as grandezas áureas da natureza” e a cultura multi-étnica de Istambul. Como resultado de tudo isso, o uso de crepe, Jersey, camurça de lã (além da lã de boucli), foi equilibrado com seda pura, brim, palha e metal.
O inverno da grife é focado na modelagem, com ombros estruturados, cintura marcada e quadril alargado. A estamparia, marca registrada da grife, foi mais contida. Em seu lugar, muitas cores, como rosa, amarelo, laranja, vermelho, vinho, roxo, verde, marinho e preto, que muitas vezes eram usadas juntas no mesmo look e criavam contrastes interessantes.


Pinturas do Renascimento, em especial os retratos da imperatriz romana Bianca Maria Sforza foram o ponto de partida de Fernanda Yamamoto para sua rica coleção de inverno. Silhuetas secas, com sobreposições e comprimentos variados e o uso de muito jaqcuard, que reproduzia pinturas e tapeçarias foram o ponto alto da coleção que teve menos vestidos e peças inteiras e uma aposta maior nas duas peças.
Jogos de contrastes e descontinuação criaram estampas contemporâneas. Nada era muito perfeitinho. As golas as vezes começavam de um jeito e terminavam de outro. Os cortes ganhavam um acabamento numa ponta e outro na ponta oposta.
A coleção teve cara de nova, principalmente pelos bons jogos de formas e estampas.


Uma das poucas coleções apresentadas exclusivamente para os homens foi a de Alexandre Herchcovitch, que se inspirou nos judeus ortodoxos para a criação de seu inverno.
Quase toda a coleção era feita de lã, com toques de malha, algodão encerado, nylon e couro. Na cartela de cores, predomínio do preto, com toques de branco, marinho e cinza.
Alexandre desconstruiu as roupas do ortodoxos e incorporou elementos da religião judaica e adereços de reza à sua alfaiataria.  Algumas referências diretas usadas por Alexandre foram: s listras e os tons da remetiam ao Talit, o xale que os homens usam para rezar. As mangas e luvas listradas de preto vêm do Tefilin, amuleto de couro que é amarrado no braço e na mão diariamente na hora da reza. Desde o barmitzvah os meninos passam a usar. Os cintos são uma referência ao Gartel, faixa que se usa por cima dos casacões de inverno. Alguns looks ainda levavam o Shtraimel, tradicional chapéu de pele que faz parte do costume ortodóxico
A série de looks brancos, preferida de Ianes, remetia ao Na Nach, uma ramificação do judaísmo ortodoxo que não se vê muito no Brasil. O grupo é conhecido por celebrar a alegria, o que é percebido também na trilha sonora, que usa uma nova banda israelense Oy Division (isso mesmo), com sonoridade festiva e folclórica.


Carolina Gold e Pitty Taliani fizeram com a coleção da Amapô como um mix de vontades das estilistas, que passa pelos croquis dos projetos do coletivo artístico AVAF (influência nas estampas), o modo de vestir dos skinheads, a elegância de meninos adolescentes, e a personagem do cartoon britânico Tank Girl.
O resultado foi a não definição de formas, que iam dos justíssimos aos estruturados que mal tocavam o corpo. Os tecidos foram o tricô, a viscose, o Jersey e o brim e na cartela de cores, a mistura interessante de preto, branco, azul e metalizados.


Elementos asiáticos e africanismos inspiraram André Lima para o seu inverno. O estilista criou peças mais volumosas, com comprimentos que variavam dos longos aos mini. Na parte de tops, destaque para as jaquetas, que ora apareciam com babados e ora não, e os ponchos dramáticos, super volumosos.
Na cartela de cores, o uso do azul contrastou com os terrosos e o dourado. Nos materiais, tweed, jacquard, organza, seda e metalizados criaram uma das coleções mais interessantes do fechamento do SPFW.

E por hoje era isso, pessoas! Foi um prazer termos a possibilidade de fazer a cobertura completa desses seis dias de evento e esperamos poder continuar. Agora, futriquem no nosso arquivo, vejam os outros dias, busquem sobre o Fashion Rio e divirtam-se!

Eu (Gabriela), estou partindo para Floripa amanhã, onde acompanharei um pouco do Sul Fashion e do Denim Pret-à-Porter. Se rolar uma matériazinha ou outra interessante, eu posto aqui. O Douglas volta à rotina normal amanhã, mas terá que fazer um caderno especial sobre o SPFW. Por isso, pode ser que demore uns diazinhos pra sair o nosso balanço. Amanhã explicamos um pouco melhor tudo o que vai acontecer aqui.

Beijos e abraços,

Douglas e Gabriela

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s