INVERNO 2012: Fashion Rio – dia 1

Está aberta, oficialmente, a temporada oficial de moda brasileira do inverno 2012. No primeiro dia de Fashion Rio, cinco grifes apresentaram suas propostas para a temporada de frio. São elas: Herchcovitch, Acquastudio, Patachou, Alessa e Cantão.

Herchcovitch, a linha de jeans wear do top estilista Alexandre Herchcovitch, se inspirou no clima jovem e fresco dos artistas novaiorquinos dos anos 80, na vanguarda cultural e estética da época.

O que foi para a passarela foi um show de caveiras (elas apareciam lindas em roupas e acessórios), uma tabela de cores pontuada por camel, branco, denim, cinza, preto, azul marinho e cinza mescla. Foram apresentados jeans resinados, que imitavam couro, rendas e tricôs. Muitas calças eram curtas e os shapes contrastavam. Aliás, foi forte – como na maioria das grifes da noite – a presença do formato casulo. Na estamparia, a marca usou listras (em várias direções e com diversas larguras) e camuflados coloridos.

A Acquastudio, inspirada nos anos 40 e 50, levou uma cartela de cores composta por tons invernais, como o azul fechado, o vinho, o cobre e metalizados, pontuados com rosa, bege e detalhes cítricos em bordados.
Os looks tinham formas estreitas e estruturadas, muita cintura alta e marcada, saias abaixo do joelho e um toque de futurismo, com peças retas. Nos materiais, a grife comandada por Esther Bauman usou o algodão, cetim, sintético, tules e organza, criando contrastes interessantes e românticos.
Ruy Furtado buscou no oriente as inspirações para o inverno da Patachou e levou à passarela várias gueixas modernas. Na cartela de cores, tons terrosos, amarelos, laranjas, vinhos, pretos e muito, mas muito dourado.

As cinturas eram marcadas pelo obis (“cinto” das vestimentas japonesas), as formas alongadas e marcadas por pregueados que criavam volumes. Os materiais iam dos pesados jacquard de seda, lurex, linho encerado a cetim de seda.
Alessa, que também se inspirou no orientalismo, principalmente nos tapetes persas, tem em seu inverno muita fluidez e modelos que se formam no corpo, com o uso da técnica de moulage.

Os crepes de seda, tricôs, algodão e jacquard eram coloridos em vermelho, laranja e marrom saturados.

Para encerrar a noite, o Cantão, comandado por Lanza Manzza, mostrou sua coleção inspirada no conforto, na sensação de segurança, de perceber o mundo de fora e o de dentro de cada um; sentindo um casulo e vivendo metamorfoses e transformações.

Tons de off White, verde, amarelo, vermelho, azul, cinza e preto coloriram as formas arredondadas, os casacos e mantôs curtos e compridos, as calças, saias e vestidos com estrutura despojada, tanto larga quanto justa.

Os materiais usados foram da gaze de linho, seda bordada, tweed de lã, malha mescla e couro ao tricô de linho, seda e lã texturizada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s